O que você procura?

Escola Bosque realiza operação de soltura de quelônios na ilha de Jutuba

A Prefeitura Municipal de Belém, por meio da Fundação Escola Bosque (Funbosque), com assistência técnica da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), realizou operação de soltura de quelônios na manhã desta quinta-feira, 28, na ilha de Jutuba, região insular de Belém.

As espécies foram reproduzidas no Laguinho Borboleta, da Escola Bosque e o grupo tem em média 1 a 2 anos, estão divididas em 18 tracajás, 05 peremas e 37 tartarugas.

Agente de fiscalização ambiental da Semas, Patrick Quintela destacou a importância da parceria entre Funbosque e a secretaria. “Promover essa soltura é importante para as comunidades ribeirinhas. Estamos aqui para fortalecer esta parceria técnica”, ressalta.

O objetivo da atividade visa a sensibilização e conscientização da sociedade sobre a importância da preservação, além de envolver a comunidade escolar nos propósitos da Funbosque. A ação contou com participação de alunos e ex-alunos da instituição.

Os ribeirinhos receberam com muita alegria a comitiva da Prefeitura de Belém no procedimento de soltura das tartarugas na ilha. A moradora de Jutuba, Rosa Rodrigues Albuquerque, falou emocionada. “Moro 49 anos aqui nessa ilha, e nunca vi esta cena. Vi apenas pela televisão a soltura das tartarugas nas praias. É muito bonito. Temos que preservar o meio ambiente, nós temos que cuidar do meio ambiente”, afirmou.

O professor Célio Costa, destacou que a operação de soltura das tartarugas é resultado de um grande trabalho, que envolve muitos profissionais. “Pra nós é uma felicidade ver a tartarugas entregues para a natureza. Estão todos de parabéns. Em fevereiro ou março teremos outro grupo de tartarugas que será solto dessa forma”, contou.

No Laguinho Borboleta há várias espécies de quelônios, sendo 67 filhotes e 21 tartarugas, já próximas do tempo de soltura, que deve ocorrer antes do mês de abril.

Texto:
Rita Ribeiro