O que você procura?

Horta do Conhecimento da Escola Bosque será reativada

A Prefeitura de Belém, por meio da Fundação Escola Bosque (Funbosque), decidiu pela reativação do Projeto Horta do Conhecimento, que tem origem desde a fundação da Escola Bosque, para servir de estratégia pedagógica, na perspectiva de possibilitar interação com o meio ambiente, gerando uma prática interdisciplinar.

Com 17 anos de trabalho no Horta, a mestra em biologia ambiental Mary Fernandes da Silva está de volta à Escola Bosque com a missão de retomar as atividades do projeto, planejado para impulsionar a importância dos recursos ambientais, sobretudo, ao que se refere à valorização da alimentação saudável.

“O Horta do Conhecimento oferece aos alunos conhecimentos teóricos e práticos, uma vivência sobre o cuidar da vida, do ambiente, entendendo como um espaço sociológico, na relação do homem com a natureza. O projeto passou por um período difícil e há dois anos estava sem atividade. Neste momento, estamos em fase de recuperação e restauração desse espaço”, diz a professora Mary, que também é moradora de Outeiro, onde funciona a Funbosque.

Segundo ela, o projeto Horta cria teias curriculares, em que o professor, na sala de aula, trabalha de forma muito mais efetiva “e quando as atividades escolares forem retomadas, a ideia é fazer um momento de reapresentação dos alunos”.

Colheita – No Horta, Mary informa que o aluno tem vivência de seis meses e, nesse período, acompanha o cultivo de hortaliças, “culminando com a Festa da Colheita, momento que a elaboração de um prato é construído pelos alunos e alunas”.

Ex-aluno do curso de Educação Ambiental e hoje assistente do projeto, Alax Miguel Pantoja conta que durante a sua formação participou de atividades no Horta que ofereceu a ele um aprendizado positivo, por ter aprendido informações sobre a relação do ser humano com a natureza.

Texto:
Rita Ribeiro